Prazer, sou a sua vagina

Posted on Thu 05 January 2017 in Família, sexo e comportamento

O que têm em comum filmes, como Histeria, ambientado em 1880, que celebra a criação do primeiro vibrador, ou o escandaloso Master of sex, ou ainda Harry e Sally - Feitos Um para o Outro ambientado nos anos 80, ou o recente 50 tons de cinza? O sexo é claro, declinado em quatro filmes diferentes e celebrado de quatro maneiras diferentes, com um ponto de vista feminino sobre a questão muito interessante. Começando logo a partir da cena icônica onde uma jovem Meg Ryan finge um orgasmo memorável, em frente a uma salada na mesa de um fast food, você tem a sensação de que a vagina (celebrada em divertidos monólogos pela autora norte-americana Eve Ensler) ainda é um é campo minado, um território misterioso e sagrado em que se aventurar.

Mulher olhando sua vagina

Vagina, um ser misterioso

A verdade é que a confiança que a maior parte do sexo frágil tem com essa parte do seu corpo é muito pouca, e isso é incrível quando você considera que conhecê-la melhor também iria providenciar mais prazer.

As anatomias escondidas

Fazer piadas é fácil, mas levante a mão quem saberia descrever, sem dúvidas, a sua qual forma tem. O fato de que ela não se pode pegar na mão como o pênis, escondidas pelos lábios e pelos pubianos, torna a “perseguida” um objeto misterioso. Seria realmente uma revisão em profundidade de anatomia. Como são feitos o monte de vênus e a abertura vaginal? Qual é a diferença entre os pequenos e grandes lábios, e assim por diante. Conhecer músculos, terminações nervosas e o clitóris pode melhorar a qualidade do orgasmo da mulher. Vamos dissipar também um outro mito: o clitóris não é apenas aquele pequeno botão que você vê aparecer, esse é a ponta do iceberg, e existe apenas para dar prazer à mulher!

Cunnilingus: homem praticando sexo oral em uma mulher

E agora, exercícios!

Treinar certos músculos aumenta a excitação, você sabia? Ao contrair os músculos do pavimento pélvico, o clitóris é abaixado e a excitação aumenta. A melhor maneira de treinar esses músculos, por incrível que pareça, é apertá-los e libertá-los, como se estivesse a segurar xixi.

Agora que você tem uma visão mais completa da importância de conhecer bem sua xoxota, verifique você mesma no espelho à sua forma, e apalpe-a. Mas lembre-se sempre que seu parceiro deve saber o que você gosta, o que te excita e quais são suas zonas mais erógenas: descobrir o que te deixa mais animada (ou menos, por que não?) significa redescobrir o prazer de fazer amor em uma relação completa e satisfatória.